ARUCI-SMC
À l’ARUCI-SMC, on dépasse nos intérêts corporatifs; on est là pour travailler ensemble pour l’amélioration des conditions d’existence des personnes utilisatrices de services en santé mentale
Você está aqui: Inicio > Projetos > As políticas, serviços e práticas de saúde mental - Eixo 2 > Avaliação, aprofundamento e avanços de Gestão Autônoma da Medicação (GAM)

Avaliação, aprofundamento e avanços de Gestão Autônoma da Medicação (GAM)

Avaliação, aprofundamento e avanço da Gestão Autônoma da medicação (GAM) (em curso)

Canadá, Québec 

Equipe de pesquisa

  • Lourdes Rodriguez del Barrio, Ph. D, Universidade de Montreal; Marie-Laurence Poirel, Ph.D., Universidade de Montreal; Pierrette Richard, Prise II, Raymond Beaunoyer, Reagrupamento de Recurso Alternativos em Saúde Mental do Quebec (RRASMQ), AGIDD-SMQ, Associação quebequense de readaptação psicossocial (AQRP).
  • Estudantes : Lisa Benisty, M.Sc. Serviço social; Céline Cyr, candidata ao mestrado, Escola de Serviço social, Universidade de Montreal


Sabemos que os trabalhos envolvendo a Gestão Autônoma da Medicação (GAM) alcançaram uma certa maturidade e por este motivo propomos através de uma pesquisa qualitativa, uma atualização sobre as experiências de abordagens GAM. Ela visa documentar o ponto de vista das pessoas que fizeram uma abordagem GAM: Suas percepções da medicação, A visão de sua abordagem GAM, seus impactos e também as fontes de ajuda e as dificuldades encontradas. Também, esta pesquisa tem um interesse particular de saber o que eles pensam do Guia pessoal GAM, o uso que eles fizeram e as modificações que eles lhe propuseram. A amostra vai se concentrar em três ou quatro organismos comunitários de Montreal e Região, que ofereceram práticas GAM, para entrevistar um total de 60 a 80 usuários.

Financiamento : fundo de consolidação, ARUCI-SMC (2011-2012)

Objetivos de pesquisa:

Esta pesquisa se situa em continuidade com dois estudos anteriores que permitiram melhor entender a complexidade dos relatos sobre a medicação psiquiátrica das pessoas. Ela visa documentar diferentes dimensões da experiência das pessoas que fazem uma abordagem GAM. Mais precisamente, os objetivos da pesquisa visam a :

  • Identificar as percepções e práticas dos usuários em uso de medicação psiquiátrica;
  • Identificar o impacto do GAM para restaurar a apropriação do poder e do bem-estar;
  • Identificar as limitações e pontos fortes do GAM e seu impacto sobre os percursos  das pessoas;
  • Avaliar o Guia GAM do ponto de vista daquelas pessoas que usaram.

Contribuições e benefícios:

  • Avaliar uma nova abordagem de intervenção a partir da perspectiva subjetiva dos indivíduos;
  • Desenvolver e modificar a abordagem com base na avaliação;
  • Melhor compreender o impacto subjetivo de medicação psicotrópica.

 

PUBLICAÇÕES

Rodriguez del Barrio, L., Poirel, M-L. (2001) « La gestion autonome de la médication. Pour une contribution au renouvellement des pratiques en santé mentale ». Rapport de recherche. Équipe de recherche ERASME. Montréal.

Rodriguez del Barrio, L., Corin, E., Poirel, M-L. (2001)  Le point de vue des utilisateurs sur l’emploi de la médication en psychiatrie : une voix ignorée. Revue de psychologie du Québec. Vol 22, no 2, 201-223.

Rodriguez del Barrio, L., Poirel, M-L. (2001) La Gestion autonome de la médication: pour une contribution au renouvellement des pratiques en santé mentale. Rapport de recherche, en collaboration avec le RRASMQ, et l’AGIDD-SMQ.   

FERRAMENTAS E FORMAÇÃO

Rodriguez et coll. (2007)  ÉRASME et RRASMQ, Quand la douleur est trop grande, films format DVD : Production de l’Autre Œil.

RRASMQ, AGIDD-SMQ, ÉRASME, Gestion autonome de la médication de l’âme. Guide personnel. Édition 2002. (disponible au RRASMQ).

RRASMQ, ÉRASME. Repère. Un guide d'accompagnement à la Gestion autonome de la médication en santé mentale. Édition 2006. (disponible au RRASMQ).

Formation : La Gestion autonome des médicaments de l’âme

Objectifs :

  • Sensibiliser les personnes participantes à la complexité du rapport aux médicaments psychotropes et les implications du traitement médicamenteux dans la vie des personnes usagères;
  • Faire connaître l’approche de la Gestion autonome de la médication (GAM), ses principes et outils;
  • Favoriser l’émergence d’une réflexion et d’un dialogue sur la place que peut occuper la Gestion autonome de la médication (GAM) dans les pratiques en santé mentale.

Pour plus d’information sur les formations et la documentation disponible : http://www.rrasmq.com/index.php

Todos os direitos reservados © 2011, Saúde Mental e Cidadania